fbpx

Vamos falar sobre clínica?

Uma das questões que mais aparecem na prática psicanalítica – principalmente naqueles que estão iniciando o percurso, é a preocupação em querer dar respostas precisas ao analisando.

Muitos psicanalistas ainda se colocam na postura daquele que deve ser o detentor da verdade e, na figura de um “oráculo” -interpretar e apontar caminhos que possibilitem “resultados”.

Conforme destaca Fink (2010), toda interpretação que forneça significado simples e facilmente compreensivo, não é de fato uma interpretação. É muito mais uma sugestão.

E, bem sabemos, a psicanálise não trabalha com sugestão ou qualquer forma de aconselhamento. Atitudes assim só reforçam a dependência e uma posição infantilizada.

Nosso papel na clínica, através da interpretação, pontuação e questionamento, é provocar, desestabilizar e mover da “zona de conforto”.

Para isso podemos – e devemos- ser incisivos e provocativos, principalmente naqueles momentos no qual o analisando está muito próximo de determinado conteúdo, e ainda resiste, sem conseguir expressá-lo.

Fabricio Tavares- Psicanalista
Instagram e facebook: @fabriciotavarespsicanalista
(41) 999201774

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.